Aterro Sanitário de Sarutaiá recebe excelente avaliação pela CETESB

Em 2010 Sarutaiá na gestão do Prefeito Isnar Freschi Soares foi implantado o aterro sanitário, localizado na estrada velha Sarutaiá a Fartura, em uma área de dois hectares, destinado para o depósitos de resíduos sólidos domiciliares da população do município. Todas as despesas para implantação do aterro sanitário, primeiro da historia do município, foram através de recursos próprios da Prefeitura Municipal, evidenciando a preocupação com a destinação adequada dos resíduos sólidos e cuidados com o Meio Ambiente.

Desde então o município destina para o local cerca de 10 toneladas de lixo semanalmente, dividido nos três dias de coleta: as segundas, quartas e sextas feiras. O local possui as licenças ambientais necessárias para seu funcionamento adequado e, além disso, anualmente é avaliado pela CETESB – Regional de Avaré. No ano passado o valor do IQR (índice de qualidade de resíduos, que avalia os aterros sanitários) foi de 8,8 – caracterizando o estado adequado do local de acordo com as normas ambientais. Anualmente o aterro sanitário do município está entre as melhores notas da regional.

A partir da pontuação obtida nos indicadores da CETESB, os aterros são classificados em dois tipos de avaliações: condições inadequadas (de 0 a 7) e condições adequadas (de 7,1 a 10), como é o caso de Sarutaiá. A qualidade do Aterro Sanitário também se deve à forma de coleta de lixo realizada no município. O Brasil não viu o fim dos lixões, depósitos a céu aberto que contaminam o ar, o solo e o subsolo e põem em risco o meio ambiente e a saúde da população. A aceleração do consumo em centros urbanos, que concentram cada vez mais gente, deixou claro que aquilo que não tinha mais serventia para as pessoas e as indústrias precisava de tratamento urgente.

“Com o consumismo exagerado da população, muitas vezes estimulado pelos meios de comunicação, torna-se cada vez mais necessário que o poder público tenha consciência da necessidade de um local apropriado, para destinação do lixo gerado pelos munícipes e esse local deve obrigatoriamente possuir as licenças ambientais e um acompanhamento técnico constante. Além disso, é necessária a implantação de programa de coleta seletiva, evitando que os materiais recicláveis sejam destinados para os aterros sanitários”, comentou o engenheiro agrônomo Silvio Júdica.

Em Sarutaiá existe a coleta seletiva desde 2010, realizada todas as quintas feiras em toda a Zona Urbana do município. A preocupação com o meio ambiente tão difundida atualmente por todos, muitas vezes não sai do papel. É necessário que cada um, de acordo com a sua parcela de responsabilidade. “Um local adequado para destinação de resíduos sólidos é uma real necessidade para os municípios. Sarutaiá está fazendo a sua parte na defesa do Meio Ambiente e só tenho a agradecer a equipe da Prefeitura, pois tem contribuído de forma extraordinária para conscientizar á população das práticas de preservação”, relatou o Prefeito Isnar Freschi.

Fonte: COMUNIC