João da Tapera assina convênio de mais de R$ 9 milhões VOLTAR

O prefeito de Sarutaiá, João da Tapera assinou na última quarta-feira, 29 de junho, convênio para a construção das 91 unidades habitacionais do “Residencial Sarutaiá C”. 

A solenidade de assinatura aconteceu no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo e contou com presença do governador Geraldo Alckmin, vice-governador Márcio França, secretário estadual da Habitação, Rodrigo Garcia, dentre outras autoridades e prefeitos da região que assinaram os convênios.

Para a construção das casas, a prefeitura com ajuda da Câmara municipal adquiriu um terreno no valor de R$ 280 mil, o qual já está quitado. 

Segundo levantamentos, cada casa custa em torno de R$ 80 mil, então o valor de investimento das 91 casas de Sarutaiá chega perto de R$ 9.100.000,00. 

 “Há muito falava-se que se construiriam casas em Sarutaiá, mas onde se não havia terreno legalizado? Mas agora em minha administração, com ajuda da Câmara, adquirimos para a população um terreno no valor de R$ 280 mil e que já pagamos. O local será o destino das casas, isso sem desapropriar ninguém. É uma alegria imensa ver esse sonho se tornar realidade, o sonho de quase cem famílias que vão sair do aluguel e ter sua casa própria”, ressaltou o prefeito João da Tapera emocionado com o projeto. 

Segundo o prefeito, essa foi uma batalha  vencida em prol da população sarutaiense e que em breve a cidade contará com mais essa importante obra, que há anos é esperada por todos. 

João da Tapera ainda fez questão de agradecer as pessoas envolvidas nessa conquista. “Faço questão de agradecer ao presidente Marcos Penido, diretor técnico Aguinaldo Quintana, ao Antônio, Ana Maria Rita, equipe da CDHU que tem nos auxiliado. Agradeço ainda ao governador Geraldo Alckmin que nos proporcionou a construção dessas casas e ao deputado Samuel Moreira que intercede sempre pelo bem de Sarutaiá”, disse João da Tapera. 

Segundo o secretário estadual de Habitação, Rodrigo Garcia, essa parceria só é possível graças aos prefeitos que conseguem comprar os terrenos e pagarem, para assim serem construídas as moradias. 

“A gente batalhou, compramos o terreno, legalizamos e assinamos o convênio e em breve as casas serão construídas, o conjunto habitacional não será entregue em minha administração, mas deixo isso para o próximo administrador. E espero que ele continue essa luta com muito carinho, como eu sempre tive”, finalizou João da Tapera.