Justiça determina reabertura do Banco do Brasil em Sarutaiá

Banco tem 60 dias para ser reaberto sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil

A Justiça determinou a reabertura do posto de atendimento do Banco do Brasil, em Sarutaiá. A unidade havia sido fechada em novembro de 2017 por fazer parte do plano de reestruturação. Para evitar mais perdas à população, o Prefeito Isnar Freschi ingressou com uma Ação Popular, no Fórum da Comarca de Piraju. Recentemente foi proferida uma sentença pelo juiz da 2ª Acauã Müller Ferreira Tirapani, favorável ao município e determinando a reabertura da agência no prazo de 60 dias. Caso seja descumprida esta medida, o banco terá que pagar uma multa diária de R$ 10 mil.

“É possível verificar que o fechamento do poste de atendimento em questão, do modo como se realizou, viola a função social do Banco do Brasil, pois, entre o período compreendido pelo anuncio da decisão de fechamento e a data fixada para o encerramento das atividades, nota-se um intervalo de tempo extremamente reduzido para a reorganização econômica do município que, como já evidenciado, só conta com esse posto de atendimento. Considerando mais uma vez o perfil econômico da população do município, o deslocamento para outras localidades, para somente sacar dinheiro, apenas significaria maiores transtornos à população de baixa renda”, argumentou o juiz na sentença.

Na época, a justificativa do Banco pelo fechamento é que ocorreram assaltos e a impossibilidade de novos empréstimos á população local foram predominantes para tal decisão. Eles também justificaram que devido às novas tecnologias, muitos serviços poderiam ser feito através dos aplicativos do Banco pela Internet. “Há pessoas que tem familiaridade com estas ferramentas, porém há de se considerar que e sua maioria, os moradores necessitam da agência física. As agencias mais próximas ficam nas cidades de Fartura e Piraju (cerca de 20 quilômetros do município) e muitas pessoas, inclusive idosos têm dificuldades para se locomoverem até estas unidades de pronto atendimento”, afirmou Isnar na Ação Popular.

O fechamento da única agência física também prejudicou a economia local, pois o comércio sentiu os reflexos da falta do atendimento exclusivo na cidade. Os pequenos agricultores e pecuaristas têm dificuldades em obter as transações para as linhas de crédito. A reportagem o Prefeito Isnar ressaltou que a justiça foi feita e espera o cumprimento da sentença e bom senso por parte da diretoria do Banco do Brasil e que eles possam reativar o atendimento físico á população de Sarutaiá. “Agradeço a advogada Isabela Pinterich pelo ótimo trabalho e a Justiça. O juiz Acauã Müller Ferreira Tirapani foi pontual e verificou o transtorno que nós passamos com a falta do atendimento físico em nosso município”, salientou Isnar.  

Em nota, a Assessoria de Imprensa do Banco do Brasil afirmou que não vai comentar a decisão porque o banco ainda não foi notificado, mas informações dão conta que entrarão com recursos, contra esta decisão da 2ª Vara da Comarca de Piraju.

Fonte: COMUNIC