Oficina de Circo encerra as atividades culturais do primeiro semestre em Sarutaiá

Na noite da última terça-feira (21) foi realizada uma apresentação dos assistidos pelo Projeto Espaço Vida, no Centro de Convenções de Sarutaiá. O evento cultural e social ocorreu a partir das 19 horas e contou com a participação dos funcionários do Centro de Referência da Assistência Social – Cras, familiares dos alunos e autoridades. No município, o Projeto atende cerca de 50 menores de idade.

Durante seis meses os adolescentes tiveram aulas ministradas por monitores da Oficina de Circo, com atividades recreativas, físicas e sociais de maneira lúdica, com a participação de todas as faixas etárias. Além do estímulo à formação de grupos de estudos e redes comunitárias de cultura e o desenvolvimento de exibições artísticas.

Nesta semana o público ficou encantado com as apresentações de cada número dos participantes. “Não temos dúvidas de que projetos como esse podem transformar vidas. Temos que trabalhar pelos nossos jovens hoje, para não punir o adulto do amanhã. O nosso objetivo é apoiar cada vez mais ações como esta, estimulando as nossas crianças em atividades culturais que contribuem para formação do cidadão” afirmou a Presidente do Fundo Social, Mara Freschi.

Em entrevista, a Diretora da Ação Social, Alessandra Médice destacou a importância da iniciativa para os menores. “Nós só vamos conseguir fazer uma cidade melhor se cada um fizer a sua parte. Eu acredito que o nosso trabalho no Departamento visa valorizar as pessoas e incluí-las na sociedade. Este projeto trabalhou muito com a autoestima dos alunos e os potenciais que cada um possui. Por isso, sabemos que o impacto positivo desse projeto na vida deles será enorme” comenta Médice.

A Coordenadora do Projeto Espaço Vida, Carina Ladeira também ressaltou que o objetivo da oficina é que os jovens deem continuidade à ação de arte circense no município. “Esse projeto reflete de forma relevante na boa interação dos alunos com a escola, família e a sociedade, bem como no desenvolvimento da comunicação, da autoestima e na consciência corporal dos participantes. Então, é uma dimensão positiva muito grande para o ser humano e a gente enquanto profissional fica feliz em saber que eles assimilaram bem a parte teórica e prática”, disse.

COMUNIC