Ir para o conteúdo

Prefeitura de Sarutaiá - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
Artigo
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 492, 19 DE JULHO DE 1995
Em vigor

Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 1996 e dá outras providências

Teodureto Porfírio da Rocha, Prefeito Municipal de Sarutaiá, Estado de São Paulo, faz saber que a câmara municipal aprovou e ele promulga a seguinte lei.

Art 1º a elaboração da proposta orçamentária para o exercício de 1996, abrangerá os poderes legislativos e executivo, seus fundos e entidades da administração direta e indireta, assim como a execução orçamentária obedecerá a diretrizes estabelecidas.
Parágrafo Único- as empresas públicas e associedades de economia mista somente receberam recursos do tesouro Municipal, através de lei específica autorizando a subscrição de aumento de capital ou cobertura de déficit, efetuando pagamento de serviços prestados.

Art 2º a elaboração da proposta orçamentária do município para o exercício de 1996 obedecer as seguintes diretrizes gerais sem prejuízos das normas financeiras estabelecidas pela legislação federal.
§ 1°- o montante das despesas não deverá ser superior ao das receitas.
§ 2°- as unidades orçamentárias projetaram suas despesas correntes até o limite fixado para o exercício em curso, preços de julho de 1995, considerando os aumentos ou as diminuições de serviços.
§ 3°- as estimativas das receitas serão feitas a preço de julho de 1995 considerar-se-ão a tendência do presente exercício e efeitos das modificações na legislação tributária, os quais serão objetos de projetos de lei a ser encaminhado à Câmara Municipal até quatro meses antes do encerramento do exercício.
§ 4°- os projetos em fase de execução terão prioridade sobre os novos projetos, não podendo ser paralisados sem autorização legislativa.
§ 5°- o pagamento do serviço da dívida de pessoal e de encargos terá prioridade sobre as ações de expansão.
§ 6°- o município aplicará 25% de uma receita resultante de impostos, conforme dispõe o artigo 212 da constituição federal prioritariamente na manutenção e no desenvolvimento do ensino de primeiro grau e pré-escolar.
§ 7°- constará da proposta orçamentária O produto das operações de créditos autorizados pelo legislativo, com destinação específica e vinculadas ao projeto.

Art 3º O Poder Executivo, tendo em vista a capacidade financeira do município e o plano plurianual aprovado pela lei n. 410/93, procederá a seleção das prioridades dentre as relacionadas no anexo I integrante desta lei, e senhor será a preço de julho de 1995.
Parágrafo Único- poderão ser incluídos programas não alencados dizer que financiados com recursos de outras esferas de governo.

Art 4º os valores orçamentários serão atualizados monetariamente de conformidade com a respectiva legislação federal vigente.

Art 5º O Poder Executivo poderá firmar convênio, convergência máxima de 01 (um) ano, com outras esferas de governo, para desenvolvimento de programas prioritários nas áreas de educação, cultura, saúde e assistência social, sem ônus para o município.

Art 6º as experiências com pessoal da administração direta e indireta ficam limitadas a 65% da receita corrente (atendendo ao disposto no artigo 38 das disposições constitucionais transitórias.
§ 1°- entende-se como receitas correntes para efeitos de limites do presente artigo o somatório das receitas correntes da administração direta e das receitas correntes próprias da administração indireta, provenientes de autarquias e fundações públicas, excluídas as receitas oriundas de convênios.
§ 2°- o limite estabelecido para as despesas de pessoal de que trata este artigo, abrange os gastos da administração direta e indireta nas seguintes despesas:
- salários
- obrigações patronais
- proventos de aposentadoria e pensões
- remuneração do prefeito e do vice-prefeito
- remuneração dos vereadores
§ 3°- a concessão de qualquer vantagem de aumento de remuneração além dos índices inflacionários, a criação de cargo ou alteração de estrutura de carreiras, bem como a admissão de pessoal a qualquer título pelos órgãos e entidades da administração direta, autarquias e fundações só poderão ser feitas se houver prévia dotação orçamentária, suficientes para atender as projeções de despesas até o final do exercício, obedecidos os limites fixados no "caput".

Art 7º os auxílios subvenções serão concedidos mediante aprovação de lei específica.

Art 8º o orçamento anual obedecerá a estrutura organizacional aprovada por decreto, compreendendo seus fundos órgãos e entidades da administração direta e indireta,inclusive fundações instituídas e mantidas pelo município.

Art 9º as operações de créditos por antecipação antecipações da receita contratada pelo município, serão totalmente liquidado até o final do exercício.

Art 10 o Prefeito Municipal enviar a, até o dia 30 de outubro projeto de lei orçamentária a câmara municipal, que o apreciará até o final da sessão legislativa, devolvendo-o a seguir para sanção.

Art 11 esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Sarutaiá, 19 de julho de 1995.

______________________________________

Teodureto Porfírio da Rocha

Prefeito Municipal

Publicada e registrada na secretaria em igual data.

____________________________________

Mara Soares Goulart Alher

Secretária

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 492, 19 DE JULHO DE 1995
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 492, 19 DE JULHO DE 1995
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.5 - 03/08/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia