Ir para o conteúdo

Prefeitura de Sarutaiá - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
LEGISLAÇÃO
Atos relacionados
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
Artigo
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 632, 14 DE JUNHO DE 1999
Assunto(s): Salário/Família
Em vigor

Institui o Programa de Garantia de Renda Mínima destinado às famílias carentes

ISNAR FRESCHI SOARES, Prefeito Municipal de Sarutaiá, Estado de São Paulo, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art 1º Fica criado o Programa de Garantia de Renda Mínima, com o objetivo de elevar o bem-estar de famílias carentes com filhos ou dependentes menores de 14 anos, e, simultaneamente, incentivar a escolarização de seus filhos c dependentes entre 7 c 14 anos.

§ 1º - O referido Programa se destina às famílias que tiver:
I - renda familiar per capita inferior a meio salário mínimo;
II - filhos ou dependentes menor de catorze anos;
III - comprovação, pelos responsáveis, da matrícula c frequência de todos os seus dependentes entre sete c catorze anos, em escola pública ou cm programas de educação especial.
§ 2º - O apoio financeiro do Programa por família será calculado pelo valor do Benefício por família - VBF = R$ 15,00 (quinze reais) x número de dependentes entre zero e catorze anos - [0,5 (cinco décimos) x valor da renda familiar per capita].
§ 3º - Para a realização de atividades intermediárias, funcionais ou administrativas na execução do programa, não poderão ser gastos mais de 4% (quatro por cento) dos recursos que compõem a participação deste município c do Governo Federal.

Art 2º Observadas as condições definidas nos parágrafos 1º e 2º do artigo 10 , os recursos municipais serão destinados exclusivamente às famílias que se enquadrarem nos seguintes parâmetros, acumulativamente:
I - renda familiar per capita inferior a ló salário mínimo;
II - filhos ou dependentes menores de 14 anos;
III - comprovação, pelos responsáveis, de matrícula e frequência igual ou superior a 90% das aulas mensais, de todos os filhos ou dependentes entre 7 e 14 anos, em escola pública ou em programas de educação especial;
IV - comprovação de residência no município de, no mínimo 01 ano.
§ 1° - Considera-se família a unidade nuclear, eventualmente ampliada por outros indivíduos que com ela possuam laços de parentesco, que forme um grupo domestico, vivendo sob o mesmo teto e mantendo sua economia pela contribuição de seus membros.
§ 2° - Serão computados para cálculo da renda familiar os rendimentos de todos os membros adultos que compõem a família, inclusive os valores concedidos a pessoas que já usufruam de programas federais instituídos de acordo com preceitos constitucionais, tais como previdência rural, seguro-desemprego e renda mínima a idosos e deficientes, bem como programas estaduais e municipais de complementação pecuniária.
§ 3º - No ato da inscrição da família, e. a qualquer tempo, a critério da Secretaria Municipal de Educação, será feita a aferição da renda familiar.
§ 4º - As informações declaradas na inscrição estão sujeitas à averiguação pela Secretaria Municipal de Educação.
§ 5º- Inexistindo escola pública ou vaga na rede pública na localidade de residência da criança, o que será atestado pela Secretaria Municipal de Educação, a exigência de que trata o inciso III do artigo 2o poderá ser cumprida mediante a comprovação de matrícula em escola privada.

Art 3º As inscrições para o Programa serão realizadas na Escola Municipal.
Parágrafo Único - No ato da inscrição, o requerente preencherá formulário próprio, devendo apresentar os seguintes documentos:
I- RG
II- CPF
III - Certidão de Nascimento dos filhos
IV - Carteira de Trabalho.

Art 4º Será excluído do beneficio, pelo prazo de cinco anos ou definitivamente, se reincidente, o beneficiário que prestar declaração falsa ou usar de qualquer meio ilícito para obtenção de vantagens.
§ 1º - Sem prejuízo da sanção penal, o beneficiário que gozar ilicitamente do benefício será obrigado a efetuar o ressarcimento integral da importância recebida, em prazo a ser fixado pelo Poder Executivo, corrigida monetariamente com base no índice de correção aplicável aos tributos federais.

Art 5º O descumprimento da frequência escolar mínima por parte da criança cuja família seja beneficiada pelo Programa levará a imediata suspensão do benefício correspondente.

Art 6º No âmbito deste município, caberá a Secretaria Municipal de Educação a implantação e a execução do Programa ora instituído.

Art 7º Para o efeito do disposto no artigo 212 da Constituição Federal, não serão consideradas despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino os recursos despendidos pelo município nos gastos do Programa instituído nesta Lei

Art 8º O apoio financeiro de que trata esta Lei será custeado com dotação orçamentária específica, a ser consignada a partir do corrente exercício.
§ 1º - Nos exercícios subsequentes, as dotações orçamentárias poderão ficar condicionadas a desativação de programas ou políticas de cunho social compensatório, no valor igual aos custos decorrentes desta Lei.
§ 2º- Os projetos de lei relativos a planos plurianuais e a diretrizes orçamentárias deverão identificar os cancelamentos e as transferências de despesas, bem como outras medidas necessárias ao financiamento do disposto nesta Lei.

Art 9º Fica autorizado o Poder Executivo a criar Conselho Municipal de Educação e C.MDCA, com participação da sociedade civil, para acompanhamento e avaliação da execução do programa deste município, composto por:
I - Marcos José Rosa
II - Janislei Regina Romanhak
III- Marinez da Silva
IV- Maria Dolores Morales Alher.

Art 10 Fica a Secretaria Municipal de educação incumbida de apresentar em 30 dias, ao Comitê Assessor Gestão de que trata o Decreto Presidencial n'J 2.609/98, Plano de Trabalho contendo todas as características previstas na Resolução nº 16/98 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE.

Art 11 Á Secretária Municipal de Educação compete a elaboração de normas que disciplinarão os mecanismos de inscrição e seleção das famílias, bem como de execução do programa, com fundamento nos critérios estabelecidos nesta Lei, na Lei Federal nº 9.533/97 e no Decreto nº 2.609/98, com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 2.728/98.
Parágrafo Único - Anualmente, cm data previamente divulgada, a Secretaria Municipal de Educação fará o recadastramento das famílias-alvo do programa, com o objetivo de atualizar as informações e proceder aos ajustes necessários para o exercício seguinte.

Art 12 Na hipótese de haver empate no processo de seleção das famílias, terão prioridade os núcleos familiares que tiverem:
I - menor renda familiar per capita;
II - maior número de filhos dependentes de zero a quatorze anos;
III - dependentes idosos ou deficientes sem qualquer rendimento;
IV - crianças e adolescentes com medidas de proteção ou cumprindo medidas socioeducativas ( arts. 101 e 112 do Estatuto da Criança e do Adolescente/

Art 13 Antes do recebimento do benefício, será encaminhado a Câmara Municipal desta cidade, a lista dos beneficiados com explicação da Assistente Social e demais responsáveis, sobre os critérios específicos adotados para tal escolha e também uma reunião com os Senhores Vereadores.

Art 14 Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Art 15 Revogam-se as disposições em contrário

Prefeitura Municipal de Sarutaiá

Em, 07 de Maio de 1.999.

______________________________________

ISNAR FRESCHI SOARES
Prefeito Municipal

Publicada e registrada na Secretaria da PM na data supra.

_____________________________________

Marinez da Silva
Secretária

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Atos relacionados por assunto
c
Ato Ementa Data
LEI ORDINÁRIA Nº 459, 11 DE NOVEMBRO DE 1994 "Fixa o valor do salário família e dá outras providências." 11/11/1994
LEI ORDINÁRIA Nº 374, 23 DE JUNHO DE 1993 Fica o poder executivo autorizado a complementar salário de médico e dá outras providências 23/06/1993
LEI ORDINÁRIA Nº 2, 10 DE FEVEREIRO DE 1966 "Majora o salário-Família concedido aos Servidores Municipais e dá outras providências" 10/02/1966
LEI ORDINÁRIA Nº 6, 01 DE AGOSTO DE 1963 "Institue Salário- Família aos servidores municipais" 01/08/1963
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 632, 14 DE JUNHO DE 1999
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 632, 14 DE JUNHO DE 1999
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.5 - 03/08/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia