Ir para o conteúdo

Prefeitura de Sarutaiá - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
LEGISLAÇÃO
Atos relacionados
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
Artigo
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 797, 11 DE MARÇO DE 2005
Assunto(s): Conselhos Municipais , Meio Ambiente
Em vigor

Cria o Conselho Municipal do MeioAmbiente-CONDEMA e dá outras providencias

ISNAR FRESCHI SOARES, Prefeito Municipal de Sarutaiá, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprova e ele sanciona e promulga a seguinte lei.

Capítulo I

Das Disposições Preliminares

Art 1º O Município de Sarutaiá, de acordo com as normas constitucionais vigentes, fará uso de sua autonomia legal em assuntos de meio ambiente e de patrimônio cultural, no exercício das competências comuns e suplementares definidas pelo sistema federativo brasileiro, compatíveis com o interesse local.

Art 2º O Município de Sarutaiá exercerá, no âmbito da sua competência, o poder de policia administrativa para condicionar passiva ou ativamente e restringir o uso e gozo de bens, atividades e direitos em benefício da proteção, conservação, preservação, manejo e recuperação do meio ambiente e do patrimônio cultural, nos termos da Constituição Federal.

Art 3ºAs políticas municipais de meio ambiente e patrimônio culturais encaminhadas pelo Poder Executivo e aprovadas pelo Poder Legislativo, serão geradas no âmbito do Conselho Municipal de Meio Ambiente — CONDEMA, instituído por esta Lei Municipal.

Art 4ºPara os fins e efeitos desta Lei Municipal são considerados os seguintes conceitos gerais:
I — Meio ambiente: conjunto de condições, leis e influências e a interação de elementos naturais ou criados, de interesse sócio-econômico ou cultural para a coletividade sarutaiense, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas.
II — Patrimônio cultural: conjunto de bens materiais e imateriais de interesse para a memória da coletividade sarutaiense ou de suas correntes culturais formadoras, abrangendo os sítios arqueológicos, as paisagens notáveis naturais ou antrópicas, os conjuntos arquitetônicos e urbanísticos de valor histórico, os acervos museográficos, os arquivos históricos, a toponímia de uso consagrado pela comunidade, o conhecimento científico e as manifestações populares e artísticas.

Art 5ºOs órgãos da Prefeitura e organizações não governamentais associadas, responsáveis pela definição e execução da política municipal de meio ambiente e do patrimônio cultural, constituem o CONDEMA, assim estruturado:
I - Órgão Deliberativo e Recursal: Conselho do Meio Ambiente do Município de Sarutaiá;
II — Órgão Técnico de Assessoria: Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural; "
III — Órgãos Técnicos Executivos: órgãos setoriais de meio ambiente e de cultura existentes no organograma da Prefeitura;
IV — Órgãos Associados: organizações não governamentais associadas ao sistema, em programas, projetos ou ações em parceria.

Capitulo II
Dos Componentes do CONDEMA
SEÇÃO I
Do Conselho Municipal do Meio Ambiente

Art 6ºO Conselho Municipal do Meio Ambiente é um órgão colegiado deliberativo e recursal, responsável pela aprovação, adoção e fiscalização das medidas necessárias à gestão e defesa do meio ambiente e do patrimônio cultural do Município de Sarutaiá.

Art 7º São atribuições do Conselho:
I — Aprovar, no âmbito da sua competência, a política de meio ambiente e de patrimônio cultural do Município de Sarutaiá, zelando pela sua implementação.
II — Articular-se com o Chefe do Executivo e com a Câmara Municipal tendo em vista o encaminhamento e a aprovação da legislação municipal de ambiental e de patrimônio cultural.
III — Aprovar as normas, diretrizes e critérios propostos pela Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural.
IV — Fomentar parcerias com os órgãos congêneres da União Federal e do Estado de São Paulo nos processos de licenciamento de empreendimentos potencialmente lesivos ao meio ambiente e ao patrimônio cultural projetados ou em funcionamento no território do Município de Sarutaiá.
V — Participar, mediante a solicitação dos órgãos licenciadores ambientais supra-locais, em caráter supletivo, das ações ligadas ao licenciamento e à fiscalização de atividades, processos e obras que estejam causando ou que possam causar impactos ambientais no Município de Sarutaiá.
VI — Manifestar-se sobre quaisquer projetos e ações que envolvam assuntos de ordem ambientais ou relativos ao patrimônio cultural, inclusive parcelamentos urbanos e rurais em áreas de interesse ambiental, que deverão ser aprovados pela Câmara.
VII — Promover o tombamento de bens culturais, ambientais e paisagísticos do Município de Sarutaiá.
VIII — Apreciar e deliberar sobre quaisquer assuntos que envolvam os bens tombados pela municipalidade, pelo Estado de São Paulo ou pela União Federal, situados no Município de Sarutaiá.
IX — Fiscalizar a ação executiva dos órgãos setoriais da Prefeitura nos assuntos que envolvam o meio ambiente e o patrimônio cultural.
Parágrafo único — É vedado ao Conselho deliberar sobre matérias que não tenham sido previamente analisadas e instruídas pela Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural.

Art 8ºO Conselho Municipal do Meio Ambiente será obrigatoriamente ouvido no caso da alienação e disponibilidade dos bens ambientais e culturais móveis e imóveis de propriedade do Município de Sarutaiá.

Art 9ºOs atos do Conselho, de domínio público, serão exarados por meio de “resoluções” firmadas pelo Presidente e pelo Secretário Executivo, publicadas na forma da lei.
Parágrafo único — Procedimentos regulamentares internos serão baixados por meio de “instruções normativas” firmadas pelo Presidente e pelo Secretário Executivo.

Art 10O Conselho Municipal do Meio Ambiente será composto por 09 (nove) membros, a saber:
I — Três agentes do serviço público municipal.
II — Um representante da sociedade civil organizada de Sarutaiá.
III — Um representante das organizações não governamentais de caráter exclusivamente ambiental ou de patrimônio cultural sediadas em Sarutaiá ou Região.
IV — Um representante da Ordem dos Advogados do Brasil, residente em Sarutaiá.
V - Três membros da Câmara Técnica.
§ 1° — Os agentes do serviço público municipal serão de livre escolha do Prefeito.
§ 2° — O representante da sociedade civil organizada será de livre escolha da Câmara Municipal.
§ 3° — O representante das ONGs de caráter exclusivamente ambiental ou de patrimônio público cultural será indicada pela ONG sediada no município ou região.
§ 4º - A representação da OAB deverá ter indicação do Órgão.

Art 11 O Conselho terá a seguinte estrutura organizacional:
I — O Plenário, instância máxima do órgão colegiado, instalado em sessão plenária convocada nos termos previstos nesta Lei.
II — o Presidente, a quem compete dirigir e representar o colegiado
III - O Secretário-Executivo, a quem compete implementar as decisões administrativas, técnicas e operacionais adotadas pelo colegiado.

Art 12Compete exclusivamente ao Plenário do Conselho.
I — Emitir e fazer publicar as resoluções ou quaisquer outras deliberações tomadas pelo voto da maioria simples dos membros presentes à sessão plenária, exceto no caso de matérias relativas a bens tombados.
II — Deliberar a propósito do tombamento de bens culturais, ambientais e paisagisticos e demais matérias relativas aos bens tombados.

Art 13 OConselho Municipal do Meio Ambiente será presidido pelo titular do órgão municipal de meio ambiente ou Agricultura.
§ 1° — Nas suas faltas e impedimentos o Presidente do Conselho será substituído por um Vice-Presidente eleito pelo Plenário.
§ 2° — O Presidente designará o Secretário Executivo do Conselho.

Art 14 O mandato dos conselheiros, do Presidente, do Vice-Presidente e do Secretário Executivo será de dois anos, permitidas reconduções sucessivas.

Art 15Será deliberada pelo Plenário a exclusão do conselheiro que faltar a duas reuniões consecutivas, sem justificativa formal, ou a cinco reuniões, mesmo que espaçadas.

Art 16 A função de conselheiro não será remunerada, nem acarretará vinculo empregatício com a Prefeitura; será, todavia, considerada prestação de relevante serviço ao município.

Art 17O Conselho Municipal do Meio Ambiente instalará um exercício a cada dois anos, sempre no mês de janeiro.
§ 1° — As sessões ordinárias serão agendadas bimestralmente.
§ 2° — As sessões extraordinárias serão realizadas sempre que necessário.

Art 18As deliberações a propósito de tombamento ou de matéria relativa a bens tombados somente poderão ser votadas em sessão plenária extraordinária especialmente convocada para este fim.

Art 19O Conselho reunir-se-á em sessão plenária com a presença de dois terços de seus membros.
§ 1° — Caso não haja quórum, a sessão plenária será iniciada em segunda convocação trinta minutos após a primeira, com a presença mínima da maioria simples dos conselheiros.
§ 2° — Não se realizando a sessão por falta de quórum, sei a convocada outra com intervalo mínimo de 48 (quarenta e oito) horas entre a data desta e a anterior.
§ 3° — Caso não haja quórum para a segunda sessão, a Plenária do Conselho reunir-se-á 30 (trinta) minutos após com a presença de 1/3 (um terço) de conselheiros não podendo, porém, deliberar sobre matérias que exijam quórum especial.

Art 20 A convocação para as sessões plenárias do Conselho será feita por meio de comunicação escrita, com prazo mínimo de 1 (uma) semana de antecedência.
Parágrafo único — Da comunicação devem constar a ordem do dia, a ata da reunião anterior, a data, hora e local da primeira convocação.

Art 21As sessões plenárias do Conselho Municipal do Meio Ambiente serão públicas.

Art 22 Os órgãos setoriais da Prefeitura prestarão o necessário suporte técnico-operacional para a realização das sessões plenárias do Conselho.

Seção II

Da Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural

Art 23A Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural é o órgão técnico de assessoria do Conselho Municipal do Meio Ambiente -CONDEMA..

Art 24 Compete à Câmara Técnica assessorar o Conselho Municipal do Meio Ambiente, estudando e propondo programas, projetos, ações e normas técnicas relativas ao meio ambiente e ao patrimônio cultural do Município de Sarutaiá.
§ 1° — Quando solicitada, a Câmara Técnica prestará assessoria, em caráter supletivo, aos poderes Executivo e Legislativo nos assuntos de sua competência.
§ 2° — Quando necessário, a Câmara Técnica poderá se associar aos órgãos setoriais da Prefeitura, tendo em vista a agilidade e a otimização dos seus trabalhos.

Art 25 A assessoria a que se refere o artigo anterior incluirá a emissão de pareceres técnicos conclusivos e a elaboração de estudos técnicos e justificativas que fundamentem projetos de lei relativos ao meio ambiente.

Art 26 A Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural será formada por 3 (três) membros escolhidos pelo Prefeito dentre profissionais portadores de diploma de curso superior em áreas correlacionadas com o meio ambiente e/ou patrimônio cultural do Município de Sarutaiá.
Parágrafo único — É vedada a participação de agentes do serviço público municipal de Sarutaiá na Câmara Técnica.

Art 27A Câmara Técnica contará com o apoio logístico e operacional da Prefeitura no exercício das suas atividades.

Art 28A função de membro da Câmara Técnica não será remunerada, nem acarretará vínculo empregatício com a Prefeitura; será, todavia, considerada prestação de relevante serviço ao município.

Art 29Os membros da Câmara Técnica farão parte do Conselho do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural.

Art 30A Câmara Técnica de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural terá um coordenador eleito pelos pares.

seçãoIII

Dos Órgãos Associados

Art 31Poderão associar-se ao CONDEMA as organizações não governamentais que atuem exclusivamente nas áreas de meio ambiente e/ou patrimônio cultural sediadas em Sarutaiá.

Art 32 Para associar-se ao CONDEMA, a organização não governamental deverá cadastrar-se na Prefeitura.
Parágrafo único — As ONGs interessadas em associar-se ao CONDEMA responderão a edital de convocação publicado pela Prefeitura.

Art 33 Compete às organizações não governamentais associadas propor projetos e ações no âmbito do CONDEMA, além de colaborar na execução daqueles aprovados pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente, realizados em parceria com a Prefeitura.

Art 34 As ONGs associadas ao CONDEMA na forma da legislação em vigor contarão com o apoio logístico e operacional da Prefeitura nos projetos e ações em parceria com o poder público.

Capítulo IV

Das Disposições Gerais e Transitórias

Art 35 A cada mandato do Poder Executivo corresponderão dois exercícios do Conselho Municipal do Meio Ambiente.
§ 1º— No mês de janeiro da sua posse e no mês de janeiro do terceiro ano de seu mandato, o Prefeito designará o Conselho.
§ 2º- Designados os componentes do órgão, o titular do órgão de meio ambiente ou agricultura, na qualidade de Presidente nato do Conselho, convocará a Sessão plenária de instalação ainda em janeiro, com a finalidade de se eleger o Vice- Presidente do Conselho, indicar o Secretário Executivo e organizar a agenda anual de sessões ordinárias.

Art 36No biênio 2005/2006, a escolha, indicação e designação do Conselho obedecerão agendamento especial.

Art 37 Esta Lei entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Sarutaiá, 11 de março de 2.005

_________________________________
ISNAR FRESCHI SOARES
Prefeito Municipal

Publicado e registrado na Secretaria em igual data.

_________________________________
Mara Soares G.Alher
Diretora de Secretária

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Atos relacionados por assunto
c
Ato Ementa Data
DECRETO Nº 21, 15 DE MARÇO DE 2022 “Dispõe sobre a nomeação de membros para compor o Conselho Municipal de Proteção e Defesa Civil - COMPEC e dá outras providências.”   15/03/2022
LEI ORDINÁRIA Nº 1243, 18 DE SETEMBRO DE 2017 "Dispõe sobre a reestruturação do Conselho Municipal de Assistência Social e dá outras providências." 18/09/2017
LEI ORDINÁRIA Nº 1137, 18 DE OUTUBRO DE 2013 “Dispõe sobre a instituição do Conselho de Comunicação Social do Canal de Cidadania de Sarutaiá, e dá outras providência” 18/10/2013
LEI ORDINÁRIA Nº 1117, 28 DE MARÇO DE 2013 "Altera item 3 do Artigo 2, da Lei n° 548 de 08 de Janeiro de 1997, que institui o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e dá outras providências " 28/03/2013
LEI ORDINÁRIA Nº 1105, 04 DE FEVEREIRO DE 2013 “Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB”. 04/02/2013
LEI ORDINÁRIA Nº 1126, 21 DE JUNHO DE 2013  “Altera o parágrafo 1º do artigo 1º da Lei nº 1034 de 13 de agosto de 2010, que alterou o artigo 1º da Lei nº 967/2009 que criou o CONDEMA- Conselho Municipal de Defesa do meio Ambiente, nos seguintes termos.” 21/06/2013
LEI ORDINÁRIA Nº 964, 01 DE JUNHO DE 2009 “Dispõe sobre o Selo "Empresa Amiga do Meio Ambiente e dá outras providências.” 01/06/2009
LEI ORDINÁRIA Nº 956, 20 DE MAIO DE 2009 Fica o Poder Executivo autorizado a criar junto ao Departamento de Agricultura o Meio Ambiente a figura do Vigilante Ecológico 20/05/2009
LEI ORDINÁRIA Nº 940, 13 DE MARÇO DE 2009 Cria o Departamento Municipal de Agricultura e Meio Ambiente e dá providências correlatas.” 13/03/2009
LEI ORDINÁRIA Nº 938, 23 DE FEVEREIRO DE 2009  "Dispõe dobre o Calendário de Educação Ambiental do Município de Sarutaiá.” 23/02/2009
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 797, 11 DE MARÇO DE 2005
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 797, 11 DE MARÇO DE 2005
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.5 - 03/08/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia